terça-feira, 20 de julho de 2010


Ademar Mendes Bezerra, filho de João Bezerra de Menezes e Regina de Aragão Mendes Bezerra. Sou neto de Francisco Bezerra de Menezes e bisneto de João Bezerra de Menezes, originário do Riacho do Sangue, que se casou na Região Norte do Ceará, com Manuela Peres Nunes, provavelmente de Ipueiras no Ceará. Minha mãe era filha de Regina Saboya Ximenes de Aragão e do Cel da Guarda Nacional Antônio Enéas Pereira Mendes que, por sua vez era bisneta de Maria Clara Bezerra de Menezes Castro e Silva, do Aracati, que se casou com Vicente Maria Carlos de Saboya, cuja família em boa parte migrou para a cidade Sobral, onde nasci. Gostaria de saber da filiação do meu citado bisavô, João Bezerra de Menezes, de quem meu pai herdou o nome. Tenho quase certeza de que tanto o meu pai como minha mãe, descendem da Matriarca dos Bezerra de Menezes da Região Jaguaribana, Joana Bezerra de Menezes. Tenho conhecimento de que os irmãos Francisco Bezerra de Menezes e Jerônimo Bezerra de Menezes, irmão de Joana Bezerra de Menezes, deixaram ilustre descendência em Sobral, da qual integra o notável advogado Heráclito Fontoura de Sobral Pinto, bem como o Ministro César Asfor Rocha, Presidente do Superior Tribunal de Justiça, se não estiver enganado, por sinal casado em segundas núpcias, com a Dra. Magda Bezerra de Menezes Figueiredo, que foi minha aluna, na Centenária Faculdade de Direito. Francisco Bezerra de Menezes, o velho, foi casado com D. Maria Magdalena de Sá e Oliveira, irmã de Sebastião de Sá, que governou a Capitania do Ceará por duas vezes, em 1678 e 1684, segundo a Cronologia Sobralense, I volume, p. 128, do Mons. Francisco Sadoc de Araújo, o maior linhagista sobralense. Com a morte do marido, com quem teve os filhos Gonçalo João Coimbra e Amaro Lopes de Menezes, os quais se casaram respectivamente, com Cosma de Melo Moura e Francisca Bezerra de Menezes, filhas de Jerônimo Bezerra de Menezes, sobrinhas e noras de Francisco Bezerra de Menezes. Com o falecimento deste, D. Magdalena de Sá e Oliveira, casa-se com o viúvo Manoel Vaz Carrasco e Silva, cognominado de “O Pai das Sete Irmãs”, de cujo ventre promana a grande maioria das famílias sobralenses. Tanto os Bezerra de Menezes do Jaguaribe, do Cariri, quanto os de Sobral, descendem de Bento Rodrigues Bezerra e Petronilha Velho de Menezes, donde o patronímico BEZERRA DE MENEZES DO CEARÁ, ele natural de Pernambuco, ela da Bahia. Pelo que pude observar na Nobiliarquia Pernambucana de Antônio José Victoriano Borges da Fonseca, Bento descende de Antônio Bezerra Felpa de Barbuda, natural de Ponte de Lima, casado com Maria de Araújo, os quais vieram para a Capitania de Pernambuco com o seu primeiro donatário, Duarte Coelho Pereira e sua mulher, D. Brites de Albuquerque, irmã de Jerônimo de Albuquerque. De conformidade com Borges da Fonseca deste matrimônio nasceu Domingos Bezerra Felpa de Barbuda que casou com Brasia Monteiro, integrantes, segundo a mesma fonte, das famílias mais importantes e ricas da novel Capitania, que vão se unir às dos Albuquerques, Cavalcantis, Holandas, Wanderley (Barão de Cotegipe), Montenegro, Aguiar, Medina, Bandeira de Melo, Castro e Silva e tantas outras, como os Mendes de Gois e Vasconcelos, por intermédio dos quais tenho a subida honra de também pertencer.

2 comentários:

  1. Querido amigo
    Fiqei encatada com seu espaço, era tudo o que queria

    Fique com Deus

    Um abraço com muito carinho

    ResponderExcluir
  2. Ademar Bezerra disse: Gostaria de saber qual entidade familiar mais agradou a você, a fim de que possa complementar. Muito obrigado pelo elogio.

    ResponderExcluir